Condução de moto com chuva

Por vezes acontece aquilo que menos gostamos, a chuva e vento aparecem para dificultar um pouco as nossas viagens e passeios, não que isso impeça de nos fazermos à estrada!

No entanto a condução à chuva exige alguns cuidados, precaução e equipamentos de forma a evitarmos algumas surpresas que podem ser desagradáveis.

A condução à chuva e ao vento exige aprendizagem e prática, se apenas conduzires com bom tempo será difícil estares preparado, para quando a meio de uma viagem mais longa te deparares com condições mais difíceis, pelo que já dizia o ditado “ a prática leva à perfeição” ou pelo menos diminui o risco…

Alguns cuidados a ter na condução à chuva:

» Aderência e tracção, o comportamento da moto em pisos molhados não é o mesmo que com o piso seco. Em especial com as primeiras chuvas que formam camadas mais escorregadias dada a sujidade acumulada, levando a maiores dificuldades em termos de aderência da moto na travagem e na aceleração.

Podes testar a aderência das motos, através de uma travagem seca e cuidadosa da roda traseira, sempre em linha recta e plana. A forma como o pneu se agarra à estrada demonstra qual é o grau de aderência e cuidados que deverás ter a conduzir nessas condições. O teste poder ser replicado em piso seco, servindo também para verificar a qualidade dos pneus e segurança na condução.

Outras situações em que a aderência é posta em causa, são por exemplo os pisos novos ou com pinturas recentes, reparações recentes, passadeiras, linhas de marcação, paralelos e claro está pisos com gravilha, terra ou areia.

» Rolar em segurança, com más condições meteorológicas é palavra de ordem teres alguns cuidados como, reduzir a velocidade, ter especial atenção nas manobras, usar os travões de forma equilibrada e doseada na proporção correcta, não proceder a acelerações bruscas, estar descontraído de forma a realizar uma condução segura e normal.

» Visibilidade, com estas condições a visibilidade é inferior em proporção ao grau de chuva e vento, tornas-te menos visível para o outros condutores e utilizadores, tenta rolar o mais ao centro possível da tua faixa de rodagem, verifica que as luzes estejam a funcionar correctamente (em condições mais adversas podes utilizar os piscas em modo de emergência para sinalizares a tua presença), podes ainda recorrer a óculos com lentes amarelas de forma a melhorar a tua visão.

» Vento, quanto mais carenagem e/ou malas possuir a moto maior é a sua exposição à acção do vento, o mesmo se aplica às motos mais leves. Para uma melhor condução deves utilizar graus de inclinação ligeiros contra o vento de forma a manter o equilíbrio mais adequado, contando que deverás compensar essa inclinação nos intervalos em que não há vento, aqui também é muito importante um controlo da velocidade em função do grau de vento, por forma a evitar surpresas desagradáveis.

» Distância de segurança, face aos factores abordados anteriormente como a visibilidade e aderência, irás necessitar de mais espaço para poderes travar ou desviar-te de obstáculos, como tal nestas condições a distância de segurança deve ser maior que a normal, evitando rolar “em cima” do outros veículos.

O problema não é viajares à chuva, as motos são concebidas para o fazer. O que deves ter em atenção é a alteração das condições em que viajas e o efeito destas no comportamento da moto.

Boas curvas!

#Artigos

Tags:

» Tags: